Em entrevista reveladora, Marcelo Rezende diz o que pensa da Globo: “Ninguém vai derrubar, esquece”

marcelo-rezende3-620x465 (1)

Fenômeno da televisão em 2013, com a audiência do seu programa sendo comemorada pela Record há meses, Marcelo Rezende concedeu uma entrevista ao RD1 e fez um balanço deste ano.

“Pra mim foi espetacular. Um ano muito bom, que a gente conseguiu construir um programa completamente diferente do que existia na televisão brasileira, ninguém acreditava”, disse.

Ele explicou que as pessoas se identificam com o “Cidade Alerta” por se verem ali: “Me parece ser um ganho mais importante, que é o ganho do Brasil estar retratado no programa. De Manaus ao Rio Grande do Sul, passamos por todos os estados”.

Numa parte reveladora da entrevista, o jornalista resolveu falar o que pensa da TV Globo e confessou que derrubar a emissora é uma tarefa impossível.

“Ninguém vai conseguir derrubar a Globo, esquece. A Globo é uma televisão extremamente bem feita, com uma capacidade de renovação extraordinária. Ao invés das pessoas ficarem preocupadas em derrubar a Globo, deveriam aprender com a Globo”, confessou.

Confira na íntegra a entrevista:

RD1 – Marcelo, já dá para fazer um balanço deste ano de 2013?

Marcelo Rezende – Pra mim foi espetacular. Um ano muito bom, que a gente conseguiu construir um programa completamente diferente do que existia na televisão brasileira, ninguém acreditava. Eu decidi fazer, quando me convidaram para voltar a fazer o “Cidade Alerta”, eu não queria. Mas falei ‘eu faço, mas do meu jeito, do jeito que eu sou’. Na primeira semana ficaram dizendo que não daria certo, eu falei pra colocarem outro em meu lugar, mas deu certo e me deixaram.

RD1 – Mas além do sucesso, você já disse que tem um algo a mais, não é?

Marcelo Rezende – Exato. Me parece ser um ganho mais importante, que é o ganho do Brasil estar retratado no programa. De Manaus ao Rio Grande do Sul, passamos por todos os estados. Isso foi muito importante.

RD1 – Como foi que surgiu a ideia do livro “Corta pra Mim”?

Marcelo Rezende – Eu não queria fazer, eu achava que tudo já tinha sido dito na TV, mas meus amigos me convenceram de que não, que tinha uma história de bastidores que ninguém conhecia. E aí foi isso que eu quis fazer, contar como a gente se mexe nos bastidores de uma investigação.

RD1 – As pessoas têm uma ideia errada de quem está nos bastidores…

Marcelo Rezende – Isso, pra todo mundo, parece que existe aquele glamour, que é uma coisa linda, mas é a mais pura frustração. Porque se quando você chega no final, se tem alguma coisa errada, você tem que voltar, e começar do zero.

Isso porque quando você tem um alvo e não tem certeza de que esse alvo realmente cometeu qualquer tipo de ilícito, afeta uma família inteira. Dar um tiro errado em uma pessoa, afeta todo mundo. É um trabalho onde se lida muito mais com a frustração do que qualquer outra razão.

RD1 – Ser campeão de audiência fora da TV Globo é diferente? É especial?

Marcelo Rezende – É normal, eu acho que a gente fica muito focado na Globo e acaba esquecendo das maneiras de fazer televisão. Ninguém vai conseguir derrubar a Globo, esquece. A Globo é uma televisão extremamente bem feita, com uma capacidade de renovação extraordinária. Ao invés das pessoas ficarem preocupadas em derrubar a Globo, deveriam aprender com a Globo.

RD1 – De que maneira?

Marcelo Rezende – Não estou falando do sentido ideológico. Nem isso eu entro no assunto, mas estou falando no sentido de fazer televisão. A Globo fez a melhor televisão, faz a melhor televisão e se os outros veículo do mercado, as outras televisões, se preocupassem menos com a Globo e mais com os seus conteúdos, ameaçariam mais a Globo.

RD1 – Então você não pensou na Globo na hora de preparar o “Cidade Alerta”?

Marcelo Rezende – Não. Eu não fui fazer o “Cidade Alerta” pensando na Globo, eu fui fazer o “Cidade Alerta” pensando em como iria fazer um programa e é assim que deveria ser. A Globo é um cenário completamente diferente de qualquer outra concorrente, é a melhor dramaturgia do mundo. Como é que você quer derrubar do dia pra noite?

Ninguém derruba uma montanha dando uma porretada em baixo, tem que ser devagar. E há um tempo perdido, no meu ponto de vista, no momento em que você fica pensando ‘como é que derruba a Globo?’ ou ‘Copia a Globo’… se cada um fizesse o seu, seguramente já teria vencido um pouco mais. Não me preocupo muito com a Globo não.

RD1 – Mas a Globo vem se preocupando com você…

Marcelo Rezende – Você que está dizendo (risos). Estou tentando ver se a Globo se preocupa um pouco comigo, estou achando que às vezes se preocupa.

RD1

Pin It