Profissionais dos Clubes de Mães participam de formação continuada

Clube de Mães Formação - Milena dos Santos 02

O atendimento das capacitadoras nos 145 Clubes de Mães nos bairros de Criciúma já está acontecendo. Mas para que novidades cheguem até as participantes e com o intuito de estimular a inclusão produtiva, a Associação Feminina de Assistência Social de Criciúma (Afasc), através do Departamento de Clube de Mães/Inclusão Produtiva, está ofertando as profissionais formações continuadas durante este mês de março.

Nesta segunda-feira (13), as colaboradoras estiveram reunidas no pela terceira vez, auditório da associação com o capacitador do Grupo Lalua, Leandro Batista de Melo Silveira, que trabalhou o tema “Como calcular o preço de uma peça artesanal”.

Segundo Silveira, o artesanato vem ganhando destaque em Santa Catarina, possibilitando assim, que as pessoas que vivem dele possam acrescentar sua renda. “Nossa empresa trabalha com o fortalecimento e desenvolvimento do setor artesanal catarinense. Buscamos os Clubes de Mães, pois elas são as que mais produzem peças artesanais, e muitas vivem desse meio. Essas formações permitem que as profissionais estejam preparadas para levarem para essas comunidades aperfeiçoamento nas suas peças artesanais, possibilitando assim que seus produtos ganhem uma qualidade maior”, comenta.

Além da parte teórica, as profissionais recebem estão tendo aulas de técnicas bordado português e richilieu com a capacitadora do Grupo Lalua, Clair Pereira Goulart. A formação continuada do Departamento de Clube de Mães/Inclusão Produtiva encerra no próximo dia 20 de março. Desde o dia 1º de março, as colaboradoras já estudaram temas como: “Importância do artesanato com o turismo” e “Qualidade e criatividade no trabalho artesanal”. Nesta terça-feira (14), as capacitadores terão aula de bordado a partir das 8 horas.

Para a coordenadora do Departamento do Clube de Mães/Inclusão Produtiva, Nézia João Pereira, essa formação com as profissionais possibilita que as participantes dos Clubes, tenham condições adequadas para executarem suas atividades de forma digna e qualificada. “Pensamos em capacitar nossas profissionais para que levem para os bairros novidades, tanto teóricas, quanto práticas. Desta forma elas vão melhorar a produção e a qualidade dessas pessoas. A Afasc não tem medido esforços para oportunizar a melhora na vida das pessoas. Sabemos que somente através da qualificação que as pessoas conseguirão mudanças positivas e significativas”, ressalta Nézia.

Pin It