Reunião discute futuro de vendedores ambulantes em Criciúma

Reunião discuti futuro de ambulantes em Criciúma - Foto de Jhulian Pereira (1)

Devido a pedidos da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Criciúma, a Administração Municipal, via Fundação Cultural de Criciúma (FCC), organizou um encontro nesta terça-feira (2), na Casa da Cultura Neusa Nunes Vieira, na Praça Nereu Ramos, para discutir iniciativas visando coibir ambulantes ilegais e regulamentar o comércio ambulante em Criciúma, conforme a lei n° 2.513, de 27 de dezembro de 1990.

De acordo com o presidente da CDL de Criciúma, Gelson Philippi, os lojistas acabam prejudicados com o comércio ambulante irregular. “Ninguém é contra a concorrência. Os ambulantes devem se regulamentar”, comenta. Segundo a lei n° 6.822, de 15 de dezembro de 2016, nenhum comércio ambulante em espaço público é permitido na cidade. A prática deve ser exercida apenas em locais definidos e regulamentados pelo Poder Executivo.

Em Criciúma, o comércio ambulante ocorre principalmente no Centro. “Não queremos prejudicá-los. Muitos dependem dos produtos para sobreviver. Vamos pedir que cada um se encaminhe para um local que será determinado e regulamente as mercadorias, retirando o alvará na Prefeitura de Criciúma para trabalhar de maneira regular”, explica o diretor da FCC, Ismail Ahmad.

Além de Ahmad e Philippi, a reunião contou com a presença do secretário municipal de Assistência Social, Paulo César Bitencourt, do presidente da Associação dos Lojistas da Rua Coronel Pedro Benedet, Marcos Mendonça, de fiscais da Prefeitura de Criciúma, entre outros representantes.

Maria Luiza do Nascimento
Foto: Jhulian Pereira

Pin It