Chuva e vento causam quedas de árvore e destelhamentos no Estado

Granizo em Presidente Getúlio

Granizo em Presidente Getúlio

O deslocamento de células de temporal entre o planalto sul e Vale do Itajaí resultou em estragos em vários municípios na tarde desta terça-feira (26).

Por volta das 16 horas um temporal acompanhado de granizo atingiu áreas do município de Alfredo Wagner provocando estragos em plantações e destelhamentos de construções.

Em Curitibanos, o temporal avançou no início da tarde acompanhado de muitos raios e intensas rajadas de vento. No interior, casas foram destelhadas, segundo a Polícia Militar.

Ainda na mesma região, em Ponte Alta e São Cristóvão do Sul, o temporal derrubou árvores e interrompeu o fornecimento de energia elétrica em várias unidades consumidoras.

No Vale do Itajaí, em Ibirama, um temporal no meio da tarde provocou chuva e vento forte, além de granizo, onde construções também foram danificadas, de acordo com a Defesa Civil.

No município de Ituporanga, além de chuva e vento forte também houve registro de precipitação de granizo, de acordo com o Corpo de Bombeiros, principalmente nas imediações da rodovia estadual SC-407, sentido Atalanta.

Na serra catarinense, em Lages, também houve registro de fortes rajadas de vento e granizo sentido Painel.

Foi registrado granizo também em cidades do Vale do Itajaí. Foi confirmado fenômeno em Presidente Getúlio e Ibirama. Na região Norte, Joinville teve granizo no bairro Itinga.

Temporal em Corupá
Em 20 minutos, a chuva e vento forte que atingiram Corupá, no Norte de Santa Catarina, por volta das 17h desta terça-feira (26), destelharam casas e derrubaram árvores.

Segundo os bombeiros voluntários do município, os bairros Seminário, João Tozini e Centro foram os mais afetados. Os moradores cujas casas tiveram telhados removidos pela força do vendo foram até a guarnição dos bombeiros para retirar lonas para uma cobertura emergencial das residências.

Uma árvore de porte médio caiu sobre a residência de um casal de idosos no bairro João Tozini. Na manhã desta terça, um guincho deve remover o tronco que não pôde ser cortado pelos bombeiros. Conforme dos bombeiros, o temporal não chegou a deixar feridos ou desabrigados.

Falta de luz
O mau tempo no estado provocou o desligamento de energia em diversos municípios catarinenses. Essas condições afetam o fornecimento, principalmente em razão da queda de objetos, como árvores e placas metálicas, informaram as Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc).

Às 18h10, eram cerca de 80 mil unidades sem energia, 2,5% das 3 milhões de unidades consumidoras atendidas pela empresa.

Pouco antes das 21h, mais de 29 mil unidades continuavam sem luz – a maioria na região de Joinville -, segundo o sistema de monitoramento online da companhia.

Mais de 300 eletricistas trabalhavam para restabelecimento do sistema elétrico. Confira abaixo como está a situação em cada região:

– Na região de Joinville, uma das mais atingidas, dos 90 alimentadores, seis foram afetados, interrompendo o fornecimento de energia para 27 mil unidades consumidoras;

– Na Grande Florianópolis, mais de 10 equipes estão em campo. Ventos fortes atingiram uma árvore de grande porte na SC-406, no Sul da Ilha, na capital. Alfredo Wagner, Biguaçu, Antônio Carlos e Palhoça estão entre as regiões mais afetadas pelo temporal;

– Na região de Concórdia, 12 equipes trabalham para recuperar os estragos provocados por um vendaval, que durou cerca de 30 minutos;

– Na região de Joaçaba, o número de equipes é de 12. Os estragos nessa região não são de grande porte, porém há diversos registros pontuais, com previsão total de restabelecimento para a madrugada;

– Nos municípios atendidos pela regional de Lages, os estragos estão concentrados em Anita Garibaldi, Cerro Negro, Campo Belo, Capão Alto, São Jose do Cerrito e em Ponte Alta do Norte. Equipes trabalham no local;

– Na região de Rio do Sul, o chefe da Agência, Manoel Arisoli Pereira, relatou que “foi uma tempestade rápida, com estragos de alta intensidade”. A tempestade chegou à região às 15h30 e durou meia hora, o suficiente para provocar danos na rede, devido ao lançamento de objetos na fiação. São treze equipes em campo, com previsão de restabelecimento total para as 21h.

Foto: Jana Stoerberl

Pin It